TROVAS INESQUECÍVEIS DE POETAS BRASILEIROS

Às vezes, o mar bravio
dá-nos lição engenhosa:
afunda um grande navio,
deixa boiar uma rosa.
(Luiz Otávio)

Nossa alma é uma criança,
que nunca sabe o que faz.
Quer tudo que não alcança;
quando alcança, não quer mais…
(Adelmar Tavares)

Redimindo os pecadores,
conduzindo-os para a luz,
o maior dos sonhadores
morreu pregado na cruz.
(Aparício Fernandes)

Sob a luz do sol nascente
segue o velho, estrada afora…
– É uma gota de poente
vagando dentro da aurora…
(Adalberto Dutra Rezende)

A mais triste solidão
que os seres humanos têm
é abrir o seu coração…
olhar e não ver ninguém!
(Ademar Macedo)

Triste sina dos mortais
é ver, assim malfadadas,
lado a lado almas rivais,
almas gêmeas separadas…
(Albercyr Camargo)

Da infância e de seus folguedos,
relembro instantes diletos,
quando sou, entre brinquedos,
brinquedo na mão dos netos!
(Alcy Ribeiro Souto Mayor)

Eu creio em Deus, com profundo
sentido de lucidez…
Mas, no Deus que fez o mundo,
não no Deus que o mundo fez!
(Alfredo de Castro)

Ao lembrar que o teu brinquedo
é decifrar-me, sorrio…
De nada vale o segredo
de um velho cofre vazio.
(Alonso Rocha)

As asas que Deus lhe deu
ruflaram de para em par.
Sua alma subiu ao céu,
seu corpo desceu ao mar…
(Alphonsus Guimaraens)

Eu amo a vida, querida,
com todo o mal que ela tem!
Só pelo bem – que há na vida,
de se poder querer bem.
(Anis Murad)

Sou feliz. Não vivo ao lado
das estrelas na amplidão,
mas posso ter um punhado
de vaga-lumes na mão.
(Antônio Roberto Fernandes)

Saudade, ponte encantada
entre o passado e o presente,
por onde a vida passada
volta a passar novamente.
(Archimino Lapagesse)

Cada palavra relida
da carta que alguém nos fez
é um pedacinho da vida
que a gente vive outra vez.
(Augusta Campos)

Não te comparo a uma rosa
porque, se a rosa souber,
vai ficar muito orgulhosa
e intitular-se mulher.
(Baltazar Godoy Moreira)

Destino é força que esmaga,
credor austero, tremendo:
manda a conta e a gente paga,
sem saber que está devendo…
(Barreto Coutinho)

Saudade, palavra doce,
que traduz tanto amargor!
Saudade é como se fosse
espinho cheirando à flor!
(Bastos Tigre)

Teus olhos, em que distingo
um frecheiro a me frechar,
são belos como um domingo
com sinos a repicar.
(Batista Cepellos)

As dores e os desencantos
têm dois destinos diversos:
ou se dissolvem nos prantos,
ou se desfazem nos versos.
(Batista Nunes)

Os beijos, segundo os sábios,
dados com muita afeição,
não deixam sinal nos lábios,
mas deixam no coração.
(Belmiro Braga)

Quis rasgar o teu retrato,
mas que tristeza, que sina…
Até no papel o ingrato
do teu olhar me domina!
(Benny Silva)

Meu lenço, na despedida,
tu não viste, em movimento:
lenço molhado, querida,
não pode agitar-se ao vento.
(Carlos Guimarães)

Sou austera e destemida
quando o momento requer;
mas nos teus braços, vencida,
sou simplesmente mulher!
(Carolina Azevedo de Castro)

Na hora em que a terra dorme
enrolada em frios véus,
eu ouço uma reza enorme
enchendo o abismo dos céus…
(Castro Alves)

Sou mais alta que esse morro,
mais vasta que aquele mar.
Há muito que me percorro
sem me poder encontrar.
(Cecília Meireles)

Nas sábias leis do Senhor
há uma sequência invertida:
– é a vida gerando o amor…
– é o amor gerando a vida…
(Célio Grünevald)

Meu coração, hoje em dia,
desfeito, cansado e mudo,
lembra uma feira vazia,
depois que venderam tudo!
( pe.Celso de Carvalho)

Hoje eu sei que foi loucura…
Mas, ao louco, que fui eu,
devo o pouco de ternura
que o bom senso não me deu.
(Cesídio Ambrogi)

No portão, os namorados
são como barcos no cais:
pelos beijos amarrados,
querem ir e ficam mais.
(Cleonice Rainho)

A dor é o caro pedágio
que é pago na ponte erguida
de um estágio a outro estágio,
na travessia da vida.
(Clóvis Maia)

Passei a crer nos amigos,
e em bondade ainda creio,
depois que vi dois mendigos
repartindo um pão ao meio.
(Colbert Rangel Coelho)

Se acaso eu fosse rainha,
dava a você meu reinado;
e se fosse uma andorinha,
o meu ninho no telhado.
(Colombina)

Na copa dos arvoredos,
nas orvalhadas verduras,
há sonâmbulos segredos
e murmuradas ternuras.
(Cruz e Souza)

Talvez eu fosse feliz
se conseguisse esquecer
o bem que pude e não fiz,
o mal que fiz sem saber.
(Delmar Barrão)

Ao beijar a tua mão,
que o destino não me deu,
tenho a estranha sensação
de estar roubando o que é meu…
(Durval Mendonça)

Saudade, lembrança triste
de tudo que já não sou …
Passado que tanto insiste
em fingir que não passou. . .
(Edgard Barcellos Cerqueira)

Em que infinito se esconde
esse Deus tão grande assim?
E minha fé me responde:
– Não se esconde. Mora em mim.
(Élton Carvalho)

Eu te quero às escondidas,
e, se essa espera durar,
te esperarei quantas vidas
for necessário esperar!
(Eugênia Maria Rodrigues)

Canto em versos, pouco a pouco,
todo o amor que me enclausura:
se ser poeta é ser louco,
bendigo o amor e a loucura!
(Florestan Japiassú Maia)

O coração nasceu mudo,
Deus fê-lo assim de prudente,
para que não conte tudo
que vai por dentro da gente.
(Floriano de Lemos)

Naquela criança linda
que brinca, cheia de pressa,
o meu mundo, que se finda,
fita um mundo que começa.
(Galdino Andrade)

Tudo muda, tudo passa,
neste mundo de ilusão:
vai para o céu a fumaça,
fica na terra o carvão.
(Guilherme de Almeida)

Esperança é qualquer cousa
que não se pode explicar;
que a gente quer, mas não ousa,
com medo de se enganar.
(Helena Ferraz)

A vida o tempo devora;
o próprio tempo não dura.
Colhe a alegria de agora,
para a saudade futura.
(Helena Kolody)

Nesta cabana esquecida,
e sem você, que sou eu?
– Um resto, talvez, de vida,
que a própria vida esqueceu…
(Helvécio de Barros)

Na distância, ao teu aceno,
quanta tristeza me invade…
O trem ficando pequeno
e, em mim, crescendo a saudade…
(Hermoclydes Siqueira Franco)

Amor se dá, não se vende,
não se compra, não se empresta…
Quem o compra se arrepende,
e quem o vende não presta!
(Iraci do Nascimento e Silva)

Para mantê-los me empenho,
porque penso sempre assim:
tendo os amigos que tenho,
eu nem preciso de mim.
(Izo Goldman)

Candelabro, iluminaste
meus dias… que glórias viste!
Agora és um velho traste
nas noites de um velho triste…
(Jacy Pacheco)

Parece troça, parece,
mas é verdade patente:
a gente nunca se esquece
de quem se esquece da gente.
(Jáder de Andrade)

Quanto mais teu corpo enlaço
mais padeço o meu tormento,
por saber que o meu abraço
não prende o teu pensamento!
(Jesy Barbosa)

Rosas tolas, tão vaidosas,
que em belas hastes vicejam…
Vem, amor, olha estas rosas,
quero que as rosas te vejam!
(J.G. de Araújo Jorge)

Juntamos nossos farrapos
naquele rancho sem flor:
era a miséria dos trapos
numa fartura de amor.
(J. Guedes)

Na vida, que te conduz
às mais diversas pelejas,
se não puderes ser luz,
que, ao menos, sombra não sejas.
(João Freire Filho)

Senhor Deus, ó Pai dos pais,
por que motivo consentes,
entre teus filhos iguais,
destinos tão diferentes?
(João Rangel Coelho)

Pergunta-lhe o vaga-lume:
– “Por que me vens maltratar? ”
E o sapo, com azedume:
– “Porque estás sempre a brilhar! ”
(João Ribeiro)

No meu humilde viver
a solidão é tamanha,
que só me falta perder
a sombra que me acompanha.
(José Carlos de Guimarães)

Sei que, deste mundo lindo,
vou sair, só não sei quando,
mas quero morrer dormindo
para entrar no céu sonhando.
(José Lucas de Barros)

De todas as despedidas,
esta é a mais triste, suponho:
duas almas comovidas,
chorando a morte de um sonho!
(Joubert de Araújo e Silva)

Eis que o destino descobre
a sorte que Deus me deu:
ninguém na vida é mais pobre…
nem mais feliz do que eu!
(Latour Arueira)

Mais aumentas meu desejo
se colocas, sem ressábios,
a nota “sol” do teu beijo
sobre a pauta dos meus lábios!
(Lavínio Gomes de Almeida)

O amor, que às vezes nos mata,
outras vezes vivifica.
– É a loucura mais sensata
que o mundo inteiro pratica.
(Leopoldina Dias Saraiva)

Minhas netas, sempre rindo,
são meu alegre evangelho:
– musgo verde revestindo
de esperança um muro velho.
(Lilinha Fernandes)

Para ajustar meu vestido,
não quero fitas nem laços,
mas um cinto, meu querido,
formado pelos teus braços.
(Lola de Oliveira)

Tenho um ciúme daninho
do meu amor, belo moço!
E até do seu colarinho,
porque lhe abraça o pescoço!
(Lourdes Póvoa Bley)

Minha vida é uma almofada
recamada de açucenas:
por fora – tão cobiçada,
por dentro – cheia de penas.
(Lourdes Strozzi)

Deus fez idosos os sábios…
Eram velhos os profetas…
Mas, com um sorriso nos lábios,
não deu idade aos poetas.
(Lucy Sother Rocha)

Lembra a saudade uma estrela
nas águas de um ribeirão
que fica sempre a retê-la,
enquanto as águas se vão…
(Luiz Antônio Pimentel)

O Mártir da Galileia
esta verdade traduz:
– Não morre nunca uma ideia,
mesmo pregada na cruz!
(Luiz Rabelo)

Só te peço amor sincero,
e o céu será todo nosso.
Se sou tua – que mais quero?
Se sou mulher –  que mais posso?
(Magdalena Léa)

O livro, o cigarro ao lado,
o rádio, o abajur antigo…
Eu deixo tudo arrumado
fingindo que estás comigo…
(Maria Tereza Noronha)

Descalços pelo gramado,
teus pés mansamente vão…
Pões, no pisar, tanto agrado,
que eu tenho inveja do chão!…
(Marina Bruna)

Saudade… perfume triste
de uma flor que não se vê.
Culto que ainda persiste
num crente que já não crê.
(Menotti Del Pichia)

Na blusa prendes a rosa
à altura do coração.
Como pode ser viçosa
uma flor sobre um vulcão?!
(Miguel Russowsky)

No amor é bom ter cuidados
para evitar dissabor…
Nem sempre em beijos trocados
trocam-se beijos de amor.
(Mílton Nunes Loureiro)

Ante o olhar austero e frio
daqueles que te criticam,
sê feito as pedras do rio:
vão-se as águas… elas ficam.
(Nádia Huguenin)

É tanto o amor que me invade
quando em seus braços estou,
que cada instante é saudade
do instante que já passou.
(Newton Meyer)

O amor é cego, é verdade,
porém é cego a seu jeito:
quem ama vê qualidade,
mas não enxerga defeito.
(Newton Rossi)

No mundo nada supera
a sensação e o valor
de alguns minutos de espera
por um momento de amor.
(Nicomedes Arruda)

O bambu com muita gente
se parece, no feitio:
por fora é belo e imponente,
por dentro é oco e vazio…
(Nilo Aparecida Pinto)

A minha vida consiste
numa tristeza sem fim,
como se tudo que é triste
chorasse dentro de mim…
(Nordestino Filho)

No dia em que tu quiseres
ser meu senhor e meu rei,
serei todas as mulheres
na mulher que te darei.
(Nydia Yaggi Martins)

Pode o poeta não ter
virtudes outras, mas tem
a de sentir e saber
o bem que faz querer bem.
(Octávio Babo Filho)

O amor que a teu lado levas
a que lugar te conduz,
que entras coberto de trevas
e sais coberto de luz?
(Olavo Bilac)

Soprei. Apagou-se a chama.
Disse-te adeus em seguida.
– Quem diz adeus a quem ama
diz adeus à própria vida!
(Olegário Mariano)

Dona Saudade, velhinha,
bordadeira paciente,
não tem agulha nem linha,
mas borda os sonhos da gente!
(Onildo de Campos)

Seria a vida enfadonha
sem as dúvidas que tive.
Quem tem certeza não sonha,
e quem não sonha não vive…
(Orlando Brito)

Vós que andais em ânsias loucas
matando a sede às paixões,
não junteis as vossas bocas
sem unir os corações!
(Osmar Barbosa)

Em paz o mundo estaria
se governassem a Terra
somente mães que algum dia
perderam filhos na guerra.
(Osmar Godinho)

Cuidai dos ricos, Senhor,
protegei-os mais de perto,
que aos pobres a própria dor
ensina o caminho certo.
(Paulo Emílio Pimto)

A ventura é uma quimera
que estranhos caprichos tem,
pois vem quando não se espera,
quando se espera não vem…
(Petrarca Maranhão)

Duas almas deves ter…
é um conselho dos mais sábios:
uma no fundo do ser,
outra boiando nos lábios.
(Raul de Leôni)

O Filho do Carpinteiro
foi um artista profundo:
com três cravos e um madeiro
fez a reforma do mundo.
(Raul Pederneiras)

Contemplo o céu para vê-las
com um respeito profundo,
pois na raiz das estrelas
eu vejo o dono do mundo.
(Rodolpho Abbud)

Não me chames de senhor,
que não sou tão velho assim,
e ao teu lado, meu amor,
não sou senhor nem de mim!
(Rodrigues Crespo)

De gota em gota, pingando,
sem ver que a chuva parou,
goteira é a casa chorando
porque você não voltou.
(Rubens de Castro)

No amor, minha aprendizagem
com tantos erros se fez,
que não tenho mais coragem
de aprender tudo outra vez…
(Sebas Sundfeld)

Poder, riqueza, afinal,
não valem quanto supões.
Nenhum rei de Portugal
teve a glória de Camões!
(Sebastião Noronha)

Tenho, a lembrar os dispersos
castelos que outrora ergui,
a pasta cheia de versos
e os versos cheios de ti.
(Silveira Carvalho)

Teu retrato até rasguei
para fugir à verdade…
“Sem lembranças”… eu pensei,
mas ninguém rasga a saudade!
(Thereza Costa Val)

Amar é fazer o ninho
que duas almas contém;
ter medo de estar sozinho,
dizer com lágrimas: – Vem!
(Tobias Barreto)

Eu não consigo entender
por que tem que ser assim:
quando se aprende a viver,
a vida já está no fim.
(Vera Vargas)

Zerando ofensas e afrontas,
o beijo é o mago auditor
que faz o ajuste de contas
depois das brigas de amor!
(Waldir Neves)

Tudo o que tenho reparto,
ó Senhor, sempre em Teu nome.
Tu fizeste o mundo farto,
foi o homem que fez a fome.
(Zálkind Piatigórsky)

Trovadores, meus irmãos,
vamos viver de mãos dadas.
Onde há correntes de mãos
não há mãos acorrentadas!
(José Maria M. de Araújo)