RESULTADO DO CONCURSO “CENTENARIO DE LUIZ OTÁVIO” – UBT/SANTOS

TEMA – “Meus Irmãos, os Trovadores”

Vencedores (idioma português)

1º lugar:  Edweine Loureiro da Silva/Japão

2º lugar: José Ouverney  – Pindamonhangaba/SP

3º lugar: Roberto Resende Vilela   – Pouso Alegre/MG

4º lugar: Gilvan Carneiro da Silva   – São Gonçalo /RJ

5º lugar: Agostinho Rodrigues  – Campos dos Goitacazes/RJ

 Menções Honrosas

Giva da Rocha – São Paulo/SP

Jota de Jesus – Saquarema/RJ

Myrthes Mazza Maciero  – São José dos Campos/SP

Plácido Ferreira do Amaral Junior- Caicó/RN

Relva do Egypto Rezende Silveira – Belo Horizonte/MG

Menções Especiais

Antônio Augusto de Assis

Ari Santos de Campos – Baln. de Camboriú/SC

Messias da Rocha – Juiz de Fora/MG

Therezinha Diegues Brisolla – São Paulo/SP

Therezinha Diegues Brisolla – São Paulo/SP

—————————————————————

Novos Trovadores:

1º lugar: Edy Soares – Vila Velha /ES

2º lugar: Maria do Carmo Zerbinato – Niterói/RJ

3º lugar: Madalena Ferrante Pizzatto  – Curitiba/ PR

Menções Honrosas

4º lugar: Rosa Maria Gomes Mendes – Rio de Janeiro/ RJ

5º lugar: Valter Rodrigues Mota – Taubaté/SP

I CONCURSO NACIONAL DE TROVAS DE BLUMENAU/SC – 2016

I CONCURSO NACIONAL DE TROVAS DE BLUMENAU-SC – 2016.

EM HOMENAGEM A LUIZ DE CAMÕES E A LEODEGÁRIO A. DE AZEVEDO FILHO, UM DOS MAIS SIGNIFICATIVOS CRÍTICOS LITERÁRIOS, ENTRE TODOS AQUELES QUE ESTUDARAM, PROFUNDAMENTE, A POESIA LÍRICA DO MAIOR POETA DA LÍNGUA PORTUGUESA.

REGULAMENTO:

TEMA: CUIDADOS. Substantivo masculino, usado no plural (“pluralia tantum”), tendo como significado o objeto do desvelo, da dedicação e da meiguice. É obrigatório o uso do termo CUIDADOS na trova.

As TROVAS, no máximo duas, deverão ser, somente, de cunho lírico-filosófico, construídas sempre, como proposição ou reflexão sobre o TEMA.

DO ENVIO:

Sistema de envelopes. Vale para todas as categorias: Trovadores veteranos e novatos. Os novos trovadores (novatos) devem se identificar no envelope da trova.

Data: até 31 de agosto de 2016. Valendo a data da postagem, impressa pelo carimbo dos Correios.

REALIZAÇÃO: DELEGACIA DA UBT EM BLUMENAU.

ENVIAR PARA:

CONCURSO NACIONAL DE TROVAS DE BLUMENAU – 2016
A/C do Professor Luiz Cesar Saraiva Feijó.
Rua Manoel Barreto, 54, Ap. 602, Bairro Victor Konder.
Blumenau, Santa Catarina, CEP 89012-134.
Remetente: Luiz Otávio, com o mesmo endereço do destinatário.

RESULTADOS DO II CONCURSO DE TROVAS UBT/COUNTRY MAGAZINE – JUIZ DE FORA

RESULTADOS DO II CONCURSO DE TROVAS UBT/COUNTRY MAGAZINE – JUIZ DE FORA

Tema nacional/internacional

Pássaro, passaredo, passarinho, ave, asas, ninho e outros termos correlatos.

VENCEDORES

1º LUGAR – Austragésilo de Miranda Alves –Sr. do Bonfim -BA

2º LUGAR – Edmar Japiassú Maia – Nova Friburgo -nRJ

3º LUGAR – Professor Garcia – Caicó – RN

4º LUGAR – Gilvan Carneiro da Silva– SÃO GONÇALO – RJ

5º LUGAR – Marialice Araújo Velloso – SÃO GONÇALO –RJ

MENÇÕES HONROSAS

6º LUGAR – Dodora Galinari – BELO HORIZONTE – MG

7º LUGAR – Carlos Henrique Silva Alves – SR. DO BONFIM – BA

8º LUGAR – Palmira M. Goulart Duarte–RIO DE JANEIRO – RJ

9º LUGAR – Geraldo Trombin – AMERICANA – SP

10ºLUGAR – Lucília Cândida Sobrinho – B. HORIZONTE – MG

MENÇÕES ESPECIAIS

11º LUGAR – Glória Tabet Marson–S. JOSÉ DOS CAMPOS – SP

12º LUGAR – Antonio Colavite Filho – SANTOS – SP

13º LUGAR – Ari Santos de Campos – BALN. CAMBORIÚ – SC

14º LUGAR – Cléber Roberto de Oliveira– S.JOÃO MERITI – RJ

15º LUGAR – José Roberto Canôas – BARRETOS – SP

 

NACIONAL/INTERNACIONAL – NOVOS TROVADORES

VENCEDORES

1º LUGAR – Andréa Araújo de Oliveira – SÃO PAULO – SP

2º LUGAR – Talita Batista – CAMPOS DOS GOYTACAZES – RJ

3º LUGAR – Madalena Ferrante Pizzatto – CURITIBA – PR

4º LUGAR – Hélio Castro – SÃO PAULO – SP

5º LUGAR – Lila Tecla – CURITIBA – PR

 

TEMA LOCAL (EXCLUSIVO PARA JUIZ DE FORA)

Jardim, flor, semente, raiz, folha, espinho, jardineiro e outros termos correlatos.

VENCEDORES

1º LUGAR – Arlindo Tadeu Hagen

2º LUGAR – José Tavares de Lima

3º LUGAR – Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho

4º LUGAR – Luzimagda De Martin R. da Fonseca

5º LUGAR – Márcia da Silva Ribeiro Fonseca

MENÇÕES HONROSAS

6º LUGAR – Leda Maria Bechara

7º LUGAR – Amael Tavares da Silva

8º LUGAR – Cáritas Souza Lima Figueiredo

9º LUGAR – Therezinha de Jesus Lopes

10ºLUGAR – Cláudia Novaes Fietto

JUIZ DE FORA – MG

MENÇÕES ESPECIAIS

11ºLUGAR – Licínio Antônio de Andrade

12ºLUGAR – José Paulo Corrêa de Souza

13ºLUGAR – Carlos Felício Meana

14ºLUGAR – Margarida Tanini

15ºLUGAR – Marco Fietto

 

TRISTE NOTÍCIA

Comunicamos, com tristeza, o falecimento de José Lucas de Barros, um dos maiores poetas trovadores que o Brasil já teve.
José Lucas de Barros, também conhecido por Zé Lucas, era advogado, morava em Natal/RN, e faleceu agora, recentemente, dia 04 de dezembro, as 15,30 horas, no Hospital São Lucas, em Natal/RN.
Entre tantas outras trovas maravilhosas de Zé Lucas, veremos a seguinte:

“Sei que, deste mundo lindo,
vou sair, só não sei quando,
mas quero morrer dormindo
para entrar no céu sonhando”.

 

 

XXIII JOGOS FLORAIS DE PORTO ALEGRE

Fotos da Musa e seus padrinhos no cerimonial de abertura dos festivais dos XXIII Jogos Florais da União Brasileira de Trovadores, realizados em Porto Alegre nos dias 23, 24 e 25 de outubro de 2015, com a participação de poetas trovadores do Rio Grande do Sul e de vários outros Estados do Brasil e também do exterior.

Jogos Florais de Porto Alegre 2015 03012196304_876403282478198_8775614475335733174_n[1]12115639_876403135811546_5670829619586244744_n[1]Jogos Florais de Porto Alegre 2015 050

CONCURSO DA UBT DE MARANGUAPE – CEARÁ – 2015

 

UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES , SEÇÃO DA UBT DE MARANGUAPE – CEARÁ
RESULTADO DO PRÊMIO DE TROVAS CAPISTRANO DE ABREU/2015
ÂMBITOS
ESTADUAL, NACIONAL/INTERNACIONAL
Tema: Capistrano de Abreu 

 

TROVAS DE ÂMBITO ESTADUAL – Tema: Capistrano de Abreu (L/F)

VENCEDORES (1º ao 3º lugares)
1º. Lugar:

Com seu toque de magia

Capistrano nos encanta

na prosa ou na poesia

cada vez mais se agiganta.

Hortêncio Pessoa – ACLA e UBT-Fortaleza/CE

 

2º. Lugar:

Maranguape nos encerra

sem gerar nenhum engano

singular clima de serra

e o valor de Capistrano.

Ana Maria do Nascimento – UBT-Aracoiaba/CE

 

3º. Lugar:

Episodio inusitado

Em Maranguape se deu

Por um filho obstinado

o Capistrano de Abreu.

Aureilson de Abreu – ACLA e UBT-Maranguape/CE

 

MENÇÕES HONROSAS (4º ao 6º lugares)

 

4º. Lugar:

Berço columinjubense

De Capistrano de Abreu

Um ilustre cearense

Que em Maranguape nasceu.

Raimundo Rodrigues de Araújo – ACLA e UBT-Maranguape/CE

 

5º. Lugar:

O maior historiador

que o Brasil já conheceu,

foi um famoso escritor,

o Capistrano de Abreu.

Gutemberg Andrade – UBT-Fortaleza/CE

 

6º. Lugar:

Capistrano o mais eclético

escritor deste rincão

com o seu toque poético

fez de seu nome refrão.

Hortêncio Pessoa – ACLA e UBT-Fortaleza/CE

 

MENÇÕES ESPECIAIS (7º ao 9º lugares)

 

7º. Lugar:

Nunca viu um apogeu

das letras na sua vida?

Foi Capistrano de Abreu

enfrentando sua lida.

Sonia Nogueira – ALJUG e UBT-Fortaleza/CE

 

8º. Lugar:

É Capistrano de Abreu

Historiador de escol:

Ceará glória deu

De ilustres está no rol.

Teresinha Vidal de Assis – UBT-Maranguape e ACLA

 

9º. Lugar:

Capistrano tem seu berço

numa terra muito amada,

onde os anjos rezam o terço

ao surgir da madrugada.

Argentina Andrade – UBT-Fortaleza/CE

 

DESTAQUES (10º ao 12º lugares)

 

10º. Lugar:

O Ceará se envaidece

deste filho de valor,

e que todos já conhecem:

Capistrano e seu valor.

Bárbara Mayã – UBT-Fortaleza/CE

 

11º. Lugar:

É na ACLA de Capistrano,

que viceja, arte e ciência,

o seu projeto é ufano,

Cultivando sapiência

Luiz Carlos de Abreu Brandão – ACLA e UBT-Maranguape/CE

 

12º. Lugar:

O teu legado valeu

e despertou gerações

tu Capistrano de Abreu

dispensas ponderações.

Maria Ruth B. de Abreu Brandão – ACLA e UBT-Maranguape/CE

 

ÂMBITO NACIONAL/INTERNACIONAL – NOVOS TROVADORES

Tema: Capistrano de Abreu (L/F)

 

VENCEDORES (1º ao 3º lugares)

 

1º. Lugar:

Em Capistrano de Abreu

teve a gente do sertão

uma voz que a defendeu

contra toda exploração.

Edweine Loureiro da Silva – Saitama – Japão

 

2º. Lugar:

Maranguape de passagem

tantas glórias já viveu!

Agora presta homenagem

a Capistrano de Abreu.

Ari Santos de Campos – Balneário Camboriú/SC

 

3º. Lugar:

Capistrano – historiador,

é sem dúvida o primeiro

a pesquisar com rigor

o passado brasileiro.

Adamo Pasquarelli (Adamores) – São José dos Campos/SP

 

MENÇÕES HONROSAS (4º ao 6º lugares)

 

4º. Lugar:

A vida de Capistrano

Foi de nordestino avante.

Por luta não teve engano

Trabalho foi seu rompante.

Emílio Soares da Costa – Vitória/ES

 

5º. Lugar:

Foi Capistrano de Abreu

de Maranguape uma glória

Terra deste filho teu,

história que escreve história.

Plácido Ferreira do Amaral Junior – Caicó/RN

 

6º. Lugar:

Os estudos do Brasil

chegam ao seu apogeu,

ressaltando índio viril,

com Capistrano de Abreu.

Talita Batista – Campos dos Goytacazes/RJ

 

MENÇÕES ESPECIAIS (7º ao 9º lugares)

 

7º. Lugar:

Em Maranguape, nasceu

a pessoa especial.

foi Capistrano de Abreu

um orgulho nacional!

Nair Lopes Rodrigues – Santos/SP

 

8º. Lugar:

Foi Capistrano de Abreu

Que nos ensinou crescer

E o saber logo teceu

Os fios do amanhecer

Cícero Matos de Castro – São Gonçalo/RJ

 

9º. Lugar:

Brasileiro historiador

Capistrano de Abreu

da cultura um pescador

nossa história escreveu!

Célia Sili Barbosa – Ribeirão Preto/SP

 

DESTAQUES (10º ao 12º lugares)

 

10º. Lugar:

Foi Capistrano de Abreu

estudioso e gentil.

Com estudo enriqueceu

a história do Brasil.

Reovaldo Paulichi – Atibaia/SP.

 

11º. Lugar:

O Capistrano de Abreu,

um grande historiador,

os desafios venceu

com delicado labor.

Ruth Hellmann – Dourados/MS

 

12º. Lugar:

O Capistrano de Abreu,

corografia estudou,

pesquisas desenvolveu,

muita cultura deixou.

Lucas de Oliveira Duarte – Dourados/MS

 

ÂMBITO NACIONAL/INTERNACIONAL – TROVADORES VETERANOS Tema: Capistrano de Abreu (L/F)

 

VENCEDORES (1º ao 3º lugares)

 

1º. Lugar:

Capistrano, o teu valor

Maranguape reconhece:

– cada Trova em teu louvor.

tem a intenção de uma prece!

Ercy Maria Marques de Faria – Bauru/SP

 

2º. Lugar:

Para o sábio Capistrano

Deus já tirou o chapéu:

Contratou-o no outro plano,

Para ser mestre no céu!

Alba Helena Corrêa – Niterói/RJ

 

3º. Lugar:

Figuras muito importantes

Maranguape conheceu

Uma das mais relevantes

foi Capistrano de Abreu.

Leonilda Yvonneti Spina – Londrina/PR

 

MENÇÕES HONROSAS (4º ao 6º lugares)

 

4º. Lugar:

Pelas obras que escreveu,

no cenário nacional.

É Capistrano de Abreu

um escritor imortal.

Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho – Juiz de Fora/MG

 

5º. Lugar:

O Ceará se gloria

de Capistrano de Abreu,

que, para “nossa” ufania

em Maranguape nasceu.

Maria Ignez Pereira – Moji Guaçu/SP

 

6º. Lugar:

O Brasil já fez história

com Capistrano de Abreu

e nela, a sua memória:

a própria história escreveu.

Roberto Tchepelentyky – São Paulo/SP

 

MENÇÕES ESPECIAIS (7º ao 9º lugares)

 

7º. Lugar:

Foi Capistrano de Abreu,

Mestre da Literatura,

o que melhor entendeu

o nosso Povo e a Cultura!

Selma Patti Spinelli – São Paulo/SP

 

8º. Lugar:

Tem Capistrano de Abreu

em Maranguape o seu chão.

Na cidade onde nasceu

deixou o seu coração.

Agostinho Rodrigues – Campos dos Goytacazes/RJ

 

9º. Lugar:

Se ele fosse um lorde inglês

e com sotaque europeu,

se tornaria de vez

“Sir” Capistrano de Abreu!!!

Antonio Colavite Filho – Santos/SP

 

DESTAQUES (10º ao 12º lugares)

 

10º. Lugar:

Capistrano de Abreu, quero

pelo valor que tu tens,

entoar-te, assim, espero

meus sinceros Parabéns!

Delcy Rodrigues Canalles – Porto Alegre/RS

 

11º. Lugar:

Um grande historiador

o Brasil reconheceu

nas pesquisas de valor

de Capistrano de Abreu.

Ruth Farah Nacif Lutterback – Cantagalo/RJ

 

12º. Lugar:

Por seus feitos, seu valor,

foi Capistrano de Abreu,

o Grande Historiador,

que Maranguape acolheu!

Fabiano de Cristo Magalhães Wanderley – Natal/RN

 

===========================================================

Moreira Lopes (Dedé Lopes) Presidente da UBT-Maranguape e da ACLA.

============================================================

CONCURSO DA UBT DE MARANGUAPE – CEARÁ – 2015

UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES , SEÇÃO DA UBT DE MARANGUAPE – CEARÁ
RESULTADO DO PRÊMIO DE TROVA, CAPISTRANO DE ABREU/2015
ÂMBITOS
ESTADUAL, NACIONAL/INTERNACIONAL
TROVAS – Tema: Maranguape

 

TROVAS DE ÂMBITO ESTADUAL – Tema: Maranguape (L/F)

 

VENCEDORES (1º ao 3º lugares)

 

1º. Lugar:

Em Maranguape nasceu

e hoje, coberto de glória

o Capistrano de Abreu

contou bem a nossa história

Bárbara Mayã – UBT-Fortaleza

 

2º. Lugar:

Com uma vegetação

onde o verde prevalece,

Maranguape em oração

muita paz nos oferece.

Argentina Andrade – UBT-Fortaleza

 

3º. Lugar:

Maranguape és um pedaço

Dos mais belos do Brasil,

A natura num abraço,

Te fartou de encantos mil.

Raimundo Rodrigues de Araújo – ACLA e UBT-Maranguape/CE

 

MENÇÕES HONROSAS (4º ao 6º lugares)

 

4º. Lugar:

Por sua distinta serra

e seu povo de valor

Maranguape é uma terra

cingida de imenso amor.

Ana Maria do Nascimento – UBT-Aracoiaba/CE

 

5º. Lugar:

Foi Capistrano de Abreu

um grande historiador

que em Maranguape nasceu

e mostrou bem seu valor.

Gutemberg Andrade – UBT-Fortaleza/CE

 

6º. Lugar:

Maranguape que alegria

É ser filho dessa terra

És suave poesia

Que encanto é a nossa serra.

João Osvaldo Soares (Vaval)

 

MENÇÕES ESPECIAIS (7º ao 9º lugares)

 

7º. Lugar:

O nome de minha terra

Condiz com sua beleza,

Maranguape, linda serra

Reserva da natureza.

Luiz Carlos de Abreu Brandão – ACLA e UBT-Maranguape/CE

 

8º. Lugar:

Maranguape tem história

Arte, Cultura a primeira,

ACLA de brilhante glória

Columinjuba: altaneira.

Teresinha Vidal – ACLA e UBT-Maranguape

 

9º. Lugar:

Maranguape e Capistrano

duas grandezas sem par,

uma da terra me ufano,

outra é o homem singular.

Maria Ruth Bastos de Abreu Brandão – ACLA e UBT-Maranguape

 

DESTAQUES (10º ao 12º lugares)

 

10º. Lugar:

Maranguape minha terra

é orgulho, orgulho meu

no sopé da linda serra

de Capistrano de Abreu

José Aureilson Cordeiro de Abreu – ACLA e UBT-Maranguape/CE

 

11º. Lugar:

Maranguape minha terra,

de Capistrano também

como é rica sua serra

e tudo o que nela tem

Antônio Andrade – UBT-Maranguape/CE

 

12º. Lugar:

Maranguape tem histórias

É uma bela cidade,

Luta sempre e tem vitórias,

Só traz felicidade.

Antônio Ivancy do Nascimento – UBT-Maranguape/CE

 

ÂMBITO NACIONAL/INTERNACIONAL – NOVOS TROVADORES

 

VENCEDORES (1º ao 3º lugares)

 

1º. Lugar:

Maranguape, Ceará

foi berço de Capistrano,

lembrado sempre será

como um grande ser humano!

Nair Lopes Rodrigues – Santos/SP

 

2º. Lugar:

Maranguape cujos brilhos

aumentam ano por ano,

os temos nos mesmos trilhos

Dedé, Chico e Capistrano.

Adamo Pasquarelli (Adamores) – São José dos Campos/SP

 

3º. Lugar:

Nossa Senhora da Penha,

Maranguape, ajoelhada,

pede a Vós que se mantenha

sempre a pedra acorrentada.

Edweine Loureiro da Silva – Saitama – Japão

 

MENÇÕES HONROSAS (4º ao 6º lugares)

 

4º. Lugar:

Tantos nomes na bagagem,

cada qual com sua história,

Maranguape tem cunhagem

nessa terra de memória.

Ari Santos de Campos – Balneário Camboriú/SC

 

5º. Lugar:

Capistrano de Abreu sente

com Anísio e Manassés,

o seu orgulho crescente

por Maranguape, o que és.

Plácido Ferreira do Amaral Junior – Caicó/RN

 

6º. Lugar:

Terra boa é Maranguape,

muitos poetas criou,

e que ninguém lá derrape,

pois a cultura vingou!

Lucas de Oliveira Duarte – Dourados/MS

 

MENÇÕES ESPECIAIS (7º ao 9º lugares)

 

7º. Lugar:

Rever que o Brasil é seu,

precisa que se destape,

pois Capistrano de Abreu

já viu isso em Maranguape.

Talita Batista – Campos dos Goytacazes/RJ

 

8º. Lugar:

O Maranguape é um berço

de cultura no Brasil,

estudamos com apreço,

Capistrano: Varonil

Ruth Hellmann – Dourados/MS

 

9º. Lugar:

Cidade de Maranguape

Tem magia em harmonia.

A trova vem por escape

Com versos e poesia.

Emílio Soares da Costa – Vitória/ES

 

10º. Lugar:

Maranguape terra da arte,

Da poesia e do amor…

Seus artistas, grande parte,

tem no sangue o bom humor.

Reovaldo Paulichi – Atibaia/SP

 

11º. Lugar:

Maranguape! Maranguape!

Terra de tantos famosos,

é para o Brasil o escape

nos deixando esperançosos.

Fátima Correa Daniel – São Gonçalo/RJ

 

ÂMBITO NACIONAL/INTERNACIONAL – TROVADORES VETERANOS

 

VENCEDORES (1º ao 3º lugares)

 

1º. Lugar:

Em Maranguape, contrito,

contemplo a noite estrelada…

E, sinto Deus no Infinito

perante meu ser que é… nada!!!

José Valdez C. Moura – Pindamonhangaba/SP

 

2º. Lugar:

De Maranguape me ufano,

como todo o Ceará

Chico Anísio e Capistrano…

quem mais fama nos dará?

Maria Ignez Pereira – Moji Guaçu/SP

 

3º. Lugar:

Maranguape, hoje eu preciso,

mostrar teus Reis, não me engano:

Chico Anísio – Rei do riso,

Rei das letras, Capistrano!

Francisco Garcia (Professor Garcia) – Caicó/RN

 

MENÇÕES HONROSAS (4º ao 6º lugares)

 

4º. Lugar:

Maranguape… hoje partilhas

das glórias de um filho teu

que da História clareou trilhas

e é Capistrano de Abreu!

Carolina Ramos – Santos/SP

 

5º. Lugar:

Pelos seus feitos, sem risco,

Maranguape nos comprova

que esta terra de Francisco

é também terra da trova.

Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho – Juiz de Fora/MG

 

6º. Lugar:

A Maranguape, dão graça,

mil roteiros em rodízio,

desde o Museu da Cachaça

à Casa de Chico Anysio!

Josafá Sobreira da Silva – Rio de Janeiro/RJ

 

MENÇÕES ESPECIAIS (7º ao 9º lugares)

 

7º. Lugar:

Quis Deus ter férias na Terra;

olhou no mapa e escolheu:

pousou entre o rio e a serra,

e Maranguape nasceu!

Antônio Augusto de Assis – Maringá/PR

 

8º. Lugar:

Em Maranguape se vê

como é doce e alegre a vida.

Lembra, a cidade, um buquê,

eternamente florida!

Agostinho Rodrigues – Campos dos Goytacazes/RJ

 

9º. Lugar:

Dentre tantos atributos,

antes que um deles me escape,

são deliciosos os frutos

das terras de Maranguape!

Antonio Colavite Filho – Santos/SP

 

DESTAQUES (10º ao 12º lugares)

 

10º. Lugar:

Maranguape, quanta glória!

Quanta grandeza e ternura

nos rumos da tua história,

com requintes de cultura!!!

Ercy Maria Marques de Faria – Bauru/SP

 

11º. Lugar:

Maranguape já fez parte

de um “mundo” que nos encanta,

com tanta beleza e arte:

tem um quê… de “terra santa”!…

Roberto Tchepelentyky – São Paulo/SP

 

12º. Lugar:

Maranguape és um prodígio!

És berço de tanta gente

que glorifica em prestigio

o teu povo inteligente!

Selma Patti Spinelli – São Paulo/SP
===========================================================

Moreira Lopes (Dedé Lopes) Presidente da UBT-Maranguape e da ACLA.

============================================================

Diretoria UBT Itajaí 2015/2016

Presidente: Ari Santos de Campos

Vice-presid. de Administração: Alaércio José Lopes

Vice-presid. de Finanças: Álvaro Pedro Ferreira

Vice-presid. de Cultura/Rel. Públicas: Luiz da Silva

Secretária: Maria Teresinha de Souza

Suplente de Diretoria: Luís Carlos Mello

Coord. da Juventrova: Odir Antônio Lehmkuhl

 

1º CONCURSO DE TROVAS DE CACHOEIRA DO SUL – RS

 1º CONCURSO DE TROVAS DE CACHOEIRA DO SUL – RS

EM NIVEL NACIONAL

1º Lugar:
Há uma voz triste e sonora,
nela, suspiros, lamentos!…
É a cachoeira que chora
seu pranto na voz dos ventos!
Francisco Garcia. Caicó- RN

1º Lugar:
Quando a vida impõe barreiras
louvo aquele que as suplantam.
Assim como as cachoeiras:
Quanto mais quedas… mais cantam!
Gilvan Carneiro da Silva. São Gonçalo – RJ

2º Lugar:
Feito cachoeira inclemente,
o atroz destino consiste
em conduzir quem consente
e arrastar a quem resiste.
Austregésilo de Miranda Alves Senhor do Bonfim – BA

3º Lugar:
Bela missão cumpre o rio,
e de tão nobres maneiras:
rega na várzea o plantio,
gera luz nas cachoeiras.
Antônio Augusto de Assis – Maringá – PR

3º Lugar:
Quem nas quedas, o otimismo
não o abandona , revela
ser cachoeira, que o abismo
torna mais forte e mais bela…
Gilvan Carneiro da Silva – São Gonçalo – RJ

 

MENÇÕES HONROSAS:

Pedras, curvas, cachoeiras,
tropeços da fonte à foz…
– Quantas e quantas barreiras
impondo-se ao rio… e a nós!
Antônio Augusto de Assis – Maringá – PR

Delícia de brincadeira…
Aceitas ser o meu par?
– Um banho de cachoeira,
numa noite de luar!
Antônio Augusto de Assis – Maringá – PR

Há mar morto, mar azul,
mar de toda qualidade.
Em Cachoeira do Sul,
um mar de felicidade.
Julimar Andrade Vieira – Aracajú – SE

A saudade é traiçoeira,
pois faz-me ouvir à distância
o fragor da cachoeira
do rio de minha infância!…
Maria Madalena Ferreira – Magé – RJ

Cachoeira que da serra
despenca com escarcéu,
encanta os homens na Terra
e acorda os anjos no céu.
Dulcidio de Barros Moreira Sobrinho – Juiz de Fora – GH

 

MENÇÕES ESPECIAIS:

Cachoeira em desvario,
lança-se do alto da serra,
busca o infinito vazio
mas volta ao berço da terra.
Dulcidio de Barros Moreira Sobrinho – Juiz de Fora – GH

Quando um rio se debruça,
no penhasco, a transbordar,
uma cachoeira, se aguça,
jorrando as águas, no ar.
Fabiano de Cristo Magalhães Wanderiey – Natal – RN

Cada lágrima que cai
dos olhos de uma criança,
é cachoeira que vai
vertendo desesperança.
Denivaldo Piaia – Campinas – SP

 

EM NIVEL ESTADUAL=RS

1° Lugar
Águas belas, águas puras
que rolam, nas cachoeiras,
vão espalhando ternuras
nas eternas corredeiras!
Flávio Roberto Stefanii – Porto Alegre – RS

2° Lugar
Curso d´água… e a corredeira
sofre a queda de repente…
Então forma a cachoeira,
junta espumas, segue em frente…
Milton Souza – Porto Alegre – RS

3° Lugar
Cachoeira… no mesmo ato,
“show” das águas e beleza!
Num poético relato
do apogeu da natureza!
Claudio Derli Silveira – Porto Alegre – RS

 

MENÇÕES HONROSAS:

Contemplar a natureza,
verdes campos, céu azul,
os arrozais, que beleza,
é Cachoeira do Sul.
Neoly Vargas – Sapucaia do Sul – RS

Bem na praça a tua fonte,
Águas dançantes em cor.
Cachoeira de belos montes
De casas cheias de amor!…
Paulo Roberto de Fraga Cirne – Porto Alegre – RS

Teu riso é qual cachoeira
que nos encanta e seduz,
água cantante e ligeira
que cai refletindo a luz .
Alice Brandão – Caxias do Sul – RS

 

MENÇÕES ESPECIAIS:

Como a imensa cachoeira,
jorra bela e iluminada…
A cidade brilha inteira,
CACHOEIRA, terra amada!
Amalia Marie Gerda Borheim – Caxias do Sul – RS

A cachoeira é um momento
de bela descontração,
pois apura o sentimento
e acrisola o coração.
Luiz Machado Stabile – Uruguaiana – RS

Das lembranças do passado,
que eu guardo a vida inteira,
é numa rede deitado,
ouvindo o som da cachoeira.
Neoly Vargas – Sapucaia do Sul – RS

 

OFICINA DE TROVAS

APARÍCIO FERNANDES

 A Trova pode ser classificada sob três aspectos; a forma, a mensagem (ou conteúdo) e a origem. Quanto à forma, podemos dividi-la em trova de rima simples e de rima dupla. A de rima simples é a mais antiga e a mais popular. Apareceu, segundo Luís da Câmara Cascudo, por volta do século XIII. É a que rima apenas o 2o. com o 4o. verso. Eis uma trova de Adelmar Tavares, que é um perfeito exemplo de trova de rima simples:

 

A inveja tem seu castigo,
Deus mesmo é quem retribui:
enquanto o invejado cresce,
o invejoso diminui…

 

A trova de rima dupla, como o nome está dizendo, é a que possui os quatro versos rimados entre si. É um tipo mais aprimorado, mais literário, mais artístico, embora, possivelmente, menos popular. A trova de rima dupla pode ter as rimas intercaladas, Isto é, rimando o 1.° com o 3° verso e o 2° com o 4°, ou internas, quando o 1.° verso rima com o 4° e o 2° com o 3°. Eis um exemplo de trova de rima dupla com as rimas intercaladas; é do trovador A. A. de Assis:

 

Desesperadora e triste
é a solidão dos ateus,
para os quais nem mesmo existe
a companhia de Deus.

 

Vejamos agora um exemplo de trova de rima dupla com as rimas internas, através desta linda quadrinha do saudoso poeta Gentil Fernando de Castro;

 

Que lição às nossas dores,
ó velho muro, desvendas!
— É na ferida das fendas
que mais te cobres de flores…

A trova de rima dupla interna é relativamente rara. Podemos considerá-la mais sofisticada, mais erudita e bem menos popular do que as suas irmãs, A tendência dos trovadores atuais é francamente pela composição da trova de rima dupla intercalada; num ensaio que se publicou, propôs-se que doravante só seja reconhecida como trova a quadra de rima dupla; ao que parece, Colbert Rangel Coelho e alguns outros trovadores são da mesma opinião. O certo é que, pelo menos nos inúmeros Jogos Florais e demais Concursos de Trovas que frequentemente são realizados em nosso país, já não se aceita as trovas de rima simples, que são automaticamente desclassificadas. Não acreditamos, porém, que a trova de rima simples venha a desaparecer, pois:

a) é muito mais antiga que a trova de rima dupla;

b) está consagrada pelo povo, sendo de feição nitidamente popular;

c) várias trovas antológicas, que o povo sabe de cor, são de rima simples;

d) é o caminho de acesso natural à trova de rima dupla, encontrando ainda muitos compositores, principalmente entre os trovadores iniciantes.

 

Guimarães Barreto, poeta e escritor paraibano residente na Guanabara, em seu livro “Excursão peto Reino das Trovas” (Irmãos Pongetti, 1962, Rio) diz o seguinte:

“As trovas, provenham de letrados ou iletrados, caracterizam-se pelos motivos que as criam e que, como as composições musicais, lhe servem de elemento essencial, O tema, ou assunto que as motiva, é quase tudo”. Concordamos, em parte, com a opinião acima, porquanto, embora as duas coisas se completem, damos mais valor ao conteúdo poético de uma trova do que propriamente ao artifício de sua forma. Por isso, somos tolerantes. Embora nossa preferência recaia na trova de rima dupla, não vamos negar a existência de trovas de rima simples belíssimas, que de modo algum podem ser relegadas ao ostracismo. Nossa concordância com o Guimarães Barreto termina quando ele escreve o seguinte:

“Há casos em que a própria rima se dispensa e basta a homofonia nas últimas sílabas tônicas dos segundo e quarto versos (rimas toantes), multo de agrado dos trovadores portugueses. Essa ausência de rimas não perturba a boa qualidade das trovas, mas, pelo contrário, lhe dá um sabor de originalidade, um novo motivo de encantamento:

 

Quem me vê eu ‘star sorrindo
não pense que estou alegre,
meu coração ‘stá tão preto
como a tinta que se escreve.”

 

Em nossa opinião, uma quadra só será trova se tiver as rimas conforme o figurino legal. As rimas toantes podem ser interessantes para poemas livres ou para sonetos inovadores. Na trova não, mesmo porque não se enquadram na definição de trova que é hoje aceita sem contestação, pelo menos no que se refere às rimas.

Na quadra mencionada por Guimarães Barreto notamos ainda a utilização do apóstrofo no 1.° e no 3° verso. Somos contrário não só aos apóstrofos, como às licenças poéticas e a todo e qualquer recurso apelativo na composição de uma trova. Quem é bom trovador, dispensa essas muletas: utiliza-se do vernáculo corretamente e nem por isso suas trovas deixam de ter a naturalidade musical de uma fonte cristalina.

Somos contrário até mesmo à utilização do termo pra em lugar de para, só o admitindo em casos especialíssimos. Uma trova com um pra dificilmente será uma trova de elevada categoria (vide nota). Quanto ao pro (para o), então, nem se fala…

Para terminar, vamos citar uma trova de Adelmar Tavares, de rima dupla intercalada, onde o poeta usa a mesma palavra para rimar o 1.° com o 3º verso:

 

Para matar as saudades,
fui ver-te em ânsias, correndo…
— E eu, que fui matar saudades,
vim de saudades morrendo…

 

E ainda uma outra, de Lia Pederneiras de Faria, que apresenta a curiosa particularidade de ter a rima “inha” nos quatro versos:

 

“Não há mãe melhor que a minha!”
— diz a filha à mamãezinha.
E a mãe sorrindo: – Filhinha,
melhor que a tua, era a minha!…

______________

* Nota: a contração “pra” pelas novas normas da UBT, é aceita tanto em trovas humorísticas como em líricas/filosóficas.

____________

Fonte: Aparício Fernandes. A Trova no Brasil: história & antologia. Rio de Janeiro/GB: Artenova, 1972

 

====================================================

OFICINA DE TROVAS

DEPARTAMENTO CULTURAL DA ORDEM

DOS ADVOGADOS DO BRASIL-RS

REALIZAÇÃO: UBT DE PORTO ALERGRE

 

1. MÓDULO 1 : NOÇÕES GERAIS SOBRE TROVA

 

CONCEITO: Trova é uma competição poética de quatro versos (linhas) setissilábicos, rimando o 1º com o 3º e o 2º com o 4º, expressando um sentido (pensamento) completo.

ORIGENS: A trova tem, provavelmente, origens no folclore. É também, chamada carinhosamente de “quadrinha” ou “versinho”. Em Portugal, chamam-na simplesmente QUADRA. A palavra TROVA vem de TROVER (Francês) e TROUBARE (Espanhol), ambas significando ACHAR. É por isso que se diz que toda boa trova é um ACHADO.

GÊNERO POÉTICO CLÁSSICO: Por seguir regras fixas, como rima obrigatória, metrificação, número de linhas e acentuação, a trova enquadrasse no gênero poético clássico, a exemplo do soneto, do haicai, do sonetilho, etc., e em contraposição aos gêneros modernos, como, por exemplo, o poema branco, o poema concretista, etc.

CLASSIFICAÇÃO OU GÊNEROS: Os principais são: lírico ou romântico, filosófico e humorístico. Mas existem também o educativo, o promocional, o religiosos, o sensual, o pornográfico, o brejeiro, o infantil, etc.

 

2. MÓDULO 2: DESMISTIFICANDO A TROVA

 

QUATRO VERSOS/LINHAS : Cada trova deve ter 4 linhas, nem mais, nem menos.

SETE SÍLABAS POÉTICAS EM CADA VERSO: Cada verso ou linha deve ter sete sílabas, contadas até à última sílaba tônica do verso. (As sílabas gramaticais se medem e se separam pela grafia; as sílabas poéticas se medem ou se separam pelo som)

RIMA ALTERNADA: Rima é identidade de SOM, respeitando-se sempre as licenciosidades poéticas. A rima, na trova, é alternada, estilo ABAB, ou seja, o 1º com o 3º e o 2º com o 4º versos.

PENSAMENTO OU SENTIDO COMPLETO: Cada trova deve conter um pensamento ou sentido completo, sendo desnecessário um título ou mesmo uma trova que venha explicá-la ou complementá-la. A trova, portanto, não precisa de título.

ELISÃO: Ou junção, é o encontro de vogais, ocasião em que se juntam pra formar uma só sílaba. Não se juntam, porém, quando a vogal da palavra anterior é tônica.

ENCONTROS CONSONANTAIS: O encontro de consoantes SEMPRE separa uma sílaba da outra.

DECÁLOGO: A UBT trabalha com um decálogo de metrificação, para orientar os trovadores, em suas dúvidas. Esse decálogo foi escrito por Luiz Otávio, o fundador da UBT.

 

3. MÓDULO 3 : IMAGENS, FIGURAS E SINTAXE

 

METÁFORAS, ANTÍTESES, ETC.: As figuras de sintaxe são largamente utilizadas na trova, por emprestarem uma beleza ímpar em tão curto espaço.

IMAGENS BELAS: Pelo mesmo motivo, ou seja, o curto espaço de 28 sílabas poéticas, toda trova deve portar uma bela imagem.

FLUIR: A linguagem utilizada pelo autor deve fluir, ou seja, ter facilidade na leitura, audição e recitação.

HARMONIA: O linguajar e as palavras devem guardar harmonia entre si quanto a sons, assim como deve ser observado o português correto, pontuação, etc.

DICIONÁRIO DE RIMAS: Para facilitar a busca, existem dicionários de rimas, encontrados principalmente em “sebos”, pois não tem sido reeditados. Ajudam muito.

 

4. MÓDULO 4: EVENTOS TROVADORESCOS – UBT

 

GRÊMIO BRASILEIRO DE TROVADORES, DE RODOLPHO COLEHO CAVALCANTI:

Fundado em 1958, buscava reunir os poetas da literatura de cordel e cantadores do nordeste. 1956: “MEUS IRMÃOS, OS TROVADORES” é, na verdade, o marco inicial do movimento trovadoresco no Brasil. Luiz Otávio reunia trovadores em sua casa desde 1948 e também tinha correspondência com centenas de trovadores do país. Em 1956, reuniu 3.000 trovas na coletânea citada e, pela primeira vez, deu uma definição de trova.

FUNDAÇÃO: 01.01.67: Em desarmonia com o GBT Nacional, e juntamente com os delegados da entidade das regiões centro-oeste e sul do país, nomeados por ele, Luiz Otávio desligou-se do GBT e fundou a UBT, que prosperou e logo alcançou todo país. Pouco tempo depois, O GBT extinguiu-se.

LIDERANÇAS INICIAIS: Luiz Otávio, J. G. de Araújo Jorge, P. de Petrus, José Maria Machado Araújo, Aparício Fernandes, Zálkind Piatigorski, Carlos Guimarães, João Rangel Coelho, Durval Mendonça, Elton Carvalho e outros.

UBT NACIONAL/ PIRÂMIDE: UBT Nacional, UBT´s Estaduais e a base, UBT´s municipais, que podem ser seções ou delegacias. As UBT´s municipais são entidades independentes, como estatuto, registro, CNPJ, contas bancárias e sócios próprios.

OBJETIVO ESTATUTÁRIOS: Estudo, cultivo e divulgação da trova e o congraçamento dos trovadores.

UNIÃO/ CONFRARIA/ DIFERENCIAÇÃO: Ao longo do tempo, foi-se formando uma grande confraria nacional, fruto dos Jogos Florais, dos encontros e mais recentemente da Internet.

OUTRAS ENTIDADES: ARTN, ABT, FEBET, Academia 3 fronteiras. UBT/RS: (Primeiras delegacias: Caxias e Uruguaiana) Composição atual: Seções: Porto Alegre, Pelotas Cruz Alta e Caxias do Sul; Delegacias: Uruguaiana, São Borja, São Gabriel, Dom Pedrito, Encruzilhada do Sul, Santiago, Taquara, Garibaldi, Viamão, Sapucaia do Sul, Itaara e São Lourenço do Sul.

UBT PORTO ALEGRE: Fundada em 08.03.69, mantém um Encontro de Trovadores e um boletim mais desde a fundação. Desde 1973 realiza os JF de Porto Alegre, tem um programa de rádio e um site. Sede própria, locada, uma biblioteca de aproximadamente 3.000 volumes.

 

CONCURSOS:

 

– Jogos Florais – significado das palavras

– Roma antiga, Competições atléticas e literárias em homenagem à Deusa Flora (Deusa da poesia e dos jardins)

– Idade Média, Tolouse (Fr), Academia dos Sete Mantenedores dos Jogos Florais – 1323 – Vitor Hugo,

– Portugal: JF da Rádio Nacional

– JF no Brasil: 1913, 1914 e 1915 – Jogos Florais das Normalistas de Santos; 1959: Jogos Florais da TV Rio, Programa de JG.

– 1958: Concurso de Poesias da Casa da Bahia

– 1960: I JF de Nova Friburgo ( Rodrigues Crespo/BH)

– 1963: I JF de Porto Alegre ( Prefeito: loureiro da Silva – Organizador: Walter Spalding)

– Como se realizam: binômio: cultura-turismo; modus faciendi moderno.

– Como participar de concursos de trovas: seguir regulamento Sistemas de envelopes – premiação.

Flávio Roberto Stefani – Pres. União Brasileira de Trovadores – Seção de Porto Alegre. Fones: 32416422 / 99863520

http://www.ubtportoalegre.portalcen.orghttp://www.falandodetrova.com.br